Suporte no desenvolvimento de jogos


    [Tutorial] Fazendo histórias

    XWlash
    XWlash
    Semi-Experiente
    Semi-Experiente

    Mensagens : 88
    Créditos : 23
    Cash : 0

    [Tutorial] Fazendo histórias Empty [Tutorial] Fazendo histórias

    Mensagem por XWlash em Seg Jan 05, 2015 3:48 pm

    Bom este é o meu primeiro tutorial sobre histórias, critiquem Very Happy .  Bom, aqui irei ensinar como fazer uma história simples que pode ser bastante útil, costumo fazer essas histórias para trabalhos escolares ou por diversão. Um fator que quero que vocês entendam é o seguinte:

    Sem imaginação você não pode ser um roteirista, não um bom roteirista, você tem que pensar em coisas novas, tem que imaginar um novo mundo pra sua história, a cada história que você cria está criando um novo mundo onde pode moldar o que quiser, tenha isto em sua mente.

    Como começar?

    Pense inicialmente, no gênero do conto, esta é uma parte crucial, você vai definir se vai ser uma história de guerra, romântica, de ação, comédia etc... Isso vai definir os personagens e o cenário. É bom também escolher um gênero no qual você tem experiência, no qual você conhece, de que adianta querer fazer uma história de comédia se não tem um "senso de humor" (Não estou julgando ninguém é só uma opinião.) .  É sempre legal trabalhar com o que gosta, pense nisso quando for escolher.

    Algo que eu acho bastante interessante é um fator que eu costumo chamar de Mixagem, é mixar, misturar os gêneros, temos o gênero Comédia Romântica, mas porque não criar outro? É comum ver misturarem Aventura com Romance porque não Ficção com Comédia?

    Uma coisa também importante é escolher qual pronome vai interpretar, eu costumo escrever na primeira pessoa do singular "Eu", pois é a que possui mais opções para detalhes, escolhendo ela vai detalhar o que o herói (ou aquele no qual você está narrando) está sentindo, fazendo, o que ele percebe ou o que ele acha de tal coisa.

    Escolhendo o cenário

    Após escolher seu gênero, você já deve ter idéias do cenário, se vai ser uma história de aventura, pode começar com algo pequeno como um garoto numa escola, que encontra pessoas que precisam de ajuda e vai atrás disso ou alguém que viaja para um mundo inexplorado.

    Se for uma história de comédia pode começar praticamente em qualquer lugar, pode começar em uma guerra (sim pode, imagine um trapalhão em uma guerra, isso seria interessante). Vendo filmes ou lendo histórias você tem uma base do cenário, como por exemplo a história de aventura sobre mitologia grega de Percy Jackson e os Olimpianos, começa em uma escola, no qual Percy encontra um sátiro e acaba indo para um acampamento de filhos dos deuses, assim como eu citei.

    Escolhendo o cenário você vai saber como seu personagem vai ser.

    Escolhendo os personagens

    Como fazer um bom personagem? Bom isso é definido pelo gênero e pela forma que você pensa, se o gênero for de guerra e o cenário começa em uma loja, pode ser alguém que trabalha na loja ou um cliente que acaba encontrando vendo uma propagando para se alistar, ou no qual a guerra vai chegar a ele com uma invasão.

    Se for uma história de terror, e a história se passar em uma estrada escura o protagonista pode ser um adulto levando uma criança, nessas histórias de terror sempre tem a famosa "Primeira Vítima", você é o escritor, você escolhe quando ou quem vai ser a primeira vítima.

    Pense na aparência, na personalidade, no gosto em tudo que pode vir a encaixar na história. Procure pensar no(s) protagonista(s) primeiramente, vai ser aquele que vai fazer algo grande, algo que vai mudar o rumo de tudo, seja para o bem ou para o mal. Depois de pensar em como vai ser o protagonista pense nos antagonistas, naqueles "secundários" que a maioria dos leitores adora e alguns querem que morram. 

    Após escolher como serão os personagens vem a parte mais cruel para mim e para muitos outros roteiristas, escolher o nome, tem que ter uma boa variedade de nomes para escolher, e procure diferenciar e não botar os nomes todos: João, Joana, Jean, John, Jhonathan, procure diferenciar letras.

    Uma boa dica que serve tanto para esta quanto para as outras etapas é pesquisar na internet. Sempre vai encontrar nomes dos mais loucos aos mais formais, cenários legais e bonitos. Se quiser ter uma base de personagem vai ser a seguinte:

    Geralmente o protagonista é: Alguém forte, destemido que faz de tudo para proteger alguma causa. Os antagonistas podem ser a família que cerca o herói ou até mesmo um ajudante que aparece em certas horas e desaparece em outras.

    O cenário vai definir as roupas do personagem, claro que se ele estiver em uma das ruas do Rio de Janeiro à noite (Porque não?) ele não vai estar, vestindo sunga e um gorro. Use a lógica para essa parte. A personalidade do personagem vai definir também esta parte, se ele é alguém fechado não vai sair vestindo uma camisa amarela, relógio prateado, sapatos verdes e calça azul. (A menos que defina esse gosto dele)

    Estruturas:

    Introdução:
    Esta é a parte no qual você dá o cenário, descreva o máximo que puder, desde as pessoas encontradas até os detalhes que o personagem pode notar, depois coloque os seus personagens em ação, pense os personagens como cartas, podendo ser colocadas em jogos e retiradas a hora que você desejar, claro essa escolha de cartas irá definir o rumo da história e a qualidade dela. Em seguida coloque os antagonistas, alguém que acompanhe o protagonista. Coloque o em uma situação que explica sua vinda até o cenário. Faça sempre perguntas. Exemplo: Porque o protagonista estaria em um dia de sol quente em Manhattan? Uma resposta aceitável seria a de que ele estava indo deixar algo na casa de algum parente, ou voltando para casa depois de alguma visita.  Use o máximo de palavras que puder, pegue um dicionário de português, pesquise na internet, use tudo que puder para tornar a história mais rica.

    Resumindo essa é a parte onde vai jogar o cenário, algum personagem e definir o gênero da história.

    Situação Inicial
    Onde o herói ou personagem inicial vai enfrentar algum perigo, Exemplo: Encontrar algum bandido assaltando uma velhinha ou ele mesmo ser assaltado. O gênero também definirá isso, se for romance ele pode encontrar algum casal se beijando e notar o quanto está sozinho, ou se for terror pode encontrar algum ser sobrenatural, os 3 pontos que trabalhamos anteriormente (Personagens, Cenário e Gênero) vão nos perseguir até o final da produção da história.

    Essa situação pode também não ser algo que dure rápido como os exemplos anteriores pode ser a doença de algum antagonista que só pode ser curada por algum item raro (Algo que faça o herói reagir ou aparecer).  Essa parte pode durar o quanto que desejar, o cenário pode mudar constantemente, Como por exemplo, após o antagonista ser assaltado, o herói chega para combater o vilão e em seguida leva o antagonista para sua casa, logo depois o herói entra na casa, assim você vai ter que descrevê-la da forma que é perceptível.

    Climax

    Essa é a parte que mais mexe com o leitor, o que o faz vibrar para ver o que acontece, pode ser na hora do herói enfrentar o grande vilão (aventura), do garoto, tentar, ficar com a mocinha (romance), de uma criança enfrentar um ser sobrenatural usando a inteligência (terror), ou do que você puder imaginar com o gênero.

    Procure descrever com mais palavras esta, o que o herói parece estar pensando (3º Pessoa do singular), o que o herói pensa (1º Pessoa do singular), dependendo do pronome que escolher interpretar isso vai definir quanto mais detalhes vai encontrar, claro que um escritor que narra os fatos na 3º Pessoa pode fazer uma história muito mais bonita do que alguém na 1º, depende das palavras que usa e o jeito que as usa.

    Agora depois que finalizar a entrada do climax, a situação que vai enfrentar, procure deixar momentos paralisantes, quando o herói quase morre ou quando o jogo esta prestes a acabar, a famosa "Virada de Jogo" é bastante famosa, e particularmente é uma grande jogada pra fazer sua história ser lida até o final.

    Depois da virada de jogo, mude o cenário, se for como o exemplo que tinha dado, do antagonista ter ficado doente, coloque o herói indo até ele salvá-lo. Isso vai dar entrada na conclusão.

    Conclusão

    Aí que a história entra no fim :pale: , você fechará a situação da história, o que perturba o leitor de como vai acabar, podendo dar até entrada em uma continuação da história como por exemplo colocar a entrada de um novo vilão, geralmente em histórias de terror, o vilão volta a atormentar, e as vezes encontro histórias que mostram um novo herói aparecendo, ou a volta de algum morto que deixou o leitor chorando. Use suas palavras finais, e a imaginação para dar um fim a história, podendo escolher em deixar dúvida ao leitor de como tudo terminou ou deixando-o satisfeito dizendo como tudo acabou.

    Bom nesse tutorial você viu eu dando várias dicas de histórias, e pode usá-las como base para gêneros ou outros que não citei. Uma coisa que você deve fazer, é reler seu texto, sempre tem aqueles errinhos, e até quando se relê 10x não se encontram.

    Eu acabei citando alguns detalhes de uma história que chega a ser intermediária, dependendo de como entendeu o tutorial de como adquiriu a experiência a história pode ser básica, ou pode ser uma mediana. Uma dica que é útil desde iniciante até veterano, é ler clássicos ou histórias atuais, os clássicos são inspiradores e mostram cenários, personagens marcantes e ótimos, os atuais mostram uma nova colocação de palavras, no qual deixam o texto mais rico e para um público aberto. Se for para um público infantil ou juvenil, pode colocar um glossário no final da história, com palavras que podem não ser entendidas por eles ou elas.  Como a palavra "Fitar" muitos jovens não a conhecem tendo significado tão simples. Use o Microsoft Word, é um programa útil e mostra muitos erros de gramática que acontecem bastante.

    Espero ter ajudado, como tinha dito, critique é o meu primeiro tutorial, eu espero não ter errado muita coisa. Desculpe se repeti muitas palavras acho que usei a palavra "Como" bastante, mas é porque estou nervoso :arrow: . De toda forma, boa sorte na sua história. Se alguém quiser posso até mesmo adaptar tutoriais postando atividades para melhorar.


    _________________
    [Tutorial] Fazendo histórias Source

    Tente novamente.
    wallace123
    wallace123
    Aldeia Friend
    Aldeia Friend

    Medalhas : [Tutorial] Fazendo histórias 94Jxv[Tutorial] Fazendo histórias ICU4UuCrHDm5A[Tutorial] Fazendo histórias Ibnth6gSDk98m7[Tutorial] Fazendo histórias ZgLkiRU
    Mensagens : 1161
    Créditos : 38
    Cash : 0

    [Tutorial] Fazendo histórias Empty Re: [Tutorial] Fazendo histórias

    Mensagem por wallace123 em Ter Jan 06, 2015 12:03 am

    Uma coisa também importante é escolher qual pronome vai interpretar, eu costumo escrever na primeira pessoa do singular "Eu", pois é a que possui mais opções para detalhes, escolhendo ela vai detalhar o que o herói (ou aquele no qual você está narrando) está sentindo, fazendo, o que ele percebe ou o que ele acha de tal coisa. "

    Errado. Com prática você pode por a mesma quantidade de detalhes em primeira pessoa quanto em terceira pessoa. Para mim não há diferenças.

    Após escolher seu gênero, você já deve ter idéias do cenário, se vai ser uma história de aventura, pode começar com algo pequeno como um garoto numa escola, que encontra pessoas que precisam de ajuda e vai atrás disso ou alguém que viaja para um mundo inexplorado. "

    Se a pessoa quer ser boa no que faz, não seguirá essa parte. Esse clichê já enoja as pessoas. Sério, hoje em dia ninguém quer ler algo tão superficial assim. Uma boa história tem profundidade, portanto não pode simplesmente começar de forma tão simplória, sem muita introdução aos personagens. O personagem tem de ter profundidade mínima. 

    Se é de aventura, acho que a melhor forma de começar seria apresentando aos poucos quem já irá começar a jornada com ele, apresentar em momentos oportunos a família, mesmo que não vá mostrar muito (o leitor tem que saber se existem ou não). E de forma propícia, estabelecendo todos os elementos básicos e se aproveitando disso para dar profundidade aos personagens narrados de início.

    Como fazer um bom personagem? Bom isso é definido pelo gênero e pela forma que você pensa, se o gênero for de guerra e o cenário começa em uma loja, pode ser alguém que trabalha na loja ou um cliente que acaba encontrando vendo uma propagando para se alistar, ou no qual a guerra vai chegar a ele com uma invasão. "

    Isso para mim soou que o lojista pensou assim: " Sou um vagabundo, tenho nada para fazer... que tédio, vou me alistar! ". Não. Tem de haver uma introdução ao personagem, tem de tornar sólida a personalidade dele, mesmo que aos poucos, para assim poder faze-lo tomar uma decisão importante. Não é qualquer um que se alista, é pessoas que necessitam, pessoas que querem cumprir seu dever para com o povo e outros. E como o leitor entrará nesse ritmo? É ai que entra a profundidade, a personalidade, o quão real ele parece ser.

    " Após escolher como serão os personagens vem a parte mais cruel para mim e para muitos outros roteiristas, escolher o nome, tem que ter uma boa variedade de nomes para escolher, e procure diferenciar e não botar os nomes todos: João, Joana, Jean, John, Jhonathan, procure diferenciar letras. "

    Achei essa parte interessante e de utilidade pública. Veja as origens do personagem, ah ele é do interior de tal país. Ótimo, procure um nome utilizado no interior de tal país, simples. Sem rodeios. Eu não mais fico escolhendo nomes para os meus personagens, não é porque o cara é loiro que ele vai ter um nome super foda. Nomes não são destinados a tal aparência ou característica.

    Geralmente o protagonista é: Alguém forte, destemido que faz de tudo para proteger alguma causa. Os antagonistas podem ser a família que cerca o herói ou até mesmo um ajudante que aparece em certas horas e desaparece em outras. "

    Clichê, padrão. Por que não um protagonista com falhas que todos nós, seres humanos, temos?

    O cenário vai definir as roupas do personagem, claro que se ele estiver em uma das ruas do Rio de Janeiro à noite (Porque não?) ele não vai estar, vestindo sunga e um gorro. Use a lógica para essa parte. A personalidade do personagem vai definir também esta parte, se ele é alguém fechado não vai sair vestindo uma camisa amarela, relógio prateado, sapatos verdes e calça azul. (A menos que defina esse gosto dele) " 

    Ao menos um fato que parece não ser muito óbvio para alguns.

    Esta é a parte no qual você dá o cenário, descreva o máximo que puder, desde as pessoas encontradas até os detalhes que o personagem pode notar, depois coloque os seus personagens em ação, pense os personagens como cartas, podendo ser colocadas em jogos e retiradas a hora que você desejar, claro essa escolha de cartas irá definir o rumo da história e a qualidade dela. Em seguida coloque os antagonistas, alguém que acompanhe o protagonista. Coloque o em uma situação que explica sua vinda até o cenário. Faça sempre perguntas. Exemplo: Porque o protagonista estaria em um dia de sol quente em Manhattan? Uma resposta aceitável seria a de que ele estava indo deixar algo na casa de algum parente, ou voltando para casa depois de alguma visita.  Use o máximo de palavras que puder, pegue um dicionário de português, pesquise na internet, use tudo que puder para tornar a história mais rica. " 

    Não. Descrever o cenário tem que ser na dose correta, pensamentos também, diálogos também. E tudo tem que ser ao seu tempo. Aos poucos e sem encher linguiça. E não adianta pegar palavras difíceis, pois isso só aparenta que você as utiliza para esconder uma narração superficial ou chata. Encher linguiça torna a leitura tediosa.

    Olha... cansei de comentar. Acho que já deu para entender a ideia com os meus comentários, fui meio rude porque eu sinceramente acho rude da parte de qualquer um tentar ensinar a escrever através de um amontoado de palavras.


    _________________
    https://www.facebook.com/wallace.o.b
    Curta, interaja, compartilhe. :)

      Data/hora atual: Qui Jun 20, 2019 8:38 am